sexta-feira, 15 de julho de 2016

PARIS

PARIS NA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
Emanuel Douglas Lopes da Silva
Jacó da Conceição Bitencourt
Ismael de Souza Rocha
Jean Alves Santos
Amanda Santana
Stefanny Martins

Resumo: Nesse artigo será abordada a participação de Paris na Segunda Guerra Mundial, no qual será exposto a invasão dos Nazistas na Capital, as diversas atrocidades cometidas com o povo Judeu, como se encontrava paris após a invasão e a esperança de um dia serem salvas e libertas das crueldades cometidas a mando de Adolf Hitler.

Summary : In this article will be addressed the participation of Paris in World War II , which will be exposed to invasion of the Nazis in the city , the many atrocities committed by the Jewish people , as was in Paris after the invasion and the hope of one day be saved and freed from the cruelties committed on the orders of Adolf Hitler.


Palavras-Chaves: Guerra; Morte; Crueldade; Aliados; Libertação; 

Paris:
  • Capital da França
  • Lingua: Francês
  • Coordenadas geográficas:
  • Latitude 48° 51' 12 N           
  • Longitude 2° 20' 55 E
  • Moeda: Euro
             
                                          
Paris apresenta um relevo formado por colinas, chamadas gipsita. O rio sena passa pela cidade que é vista pelas pontes ao longo da capital. O seu clima é influenciado pelo oceano onde apresenta um clima temperado. Encontramos o seu ponto de maior altitude no Monte branco, no qual possui 4800 metros. A sua vegetação é diversificada, possui florestas de coníferas que são um tipo de arbusto e arvore muito presente em regiões temperadas. Em algumas locais de paris a vegetação é adaptável ao clima mais quente como é o caso das oliveiras.  




Paris possui diferentes climas na região, sendo eles:

  • Clima oceânico 
  • Clima continental
  • Clima mediterrâneo 
  • Clima de montanha

Por ser uma capital bastante populacional, consequentemente o meio ambiente sofre com algumas consequências, como exemplo na poluição. Projetos de revitalização e plantação de arvores em torno dos rios são presentes, mas ainda sim não passa de soluções emergências. Gerenciada pela Ilha de França, Paris atualmente se encontra com uma população de 2 milhões de habitantes.

Sabemos que paris foi palco da revolução industrial, logo sua população foi crescendo de forma acelerada. Novas tecnologias, maquinas indústrias, aumento de fluxo imigratório deixou a capital com forte força industrial. No qual hoje a franca é considerada um dos países mais desenvolvidos em todo globo.


 
A capital econômica da frança, localizada entre o Rio Sena e o Oise. Foi palco da batalha da frança, que ficou conhecida por a queda da frança, foi uma invasão da frança e alguns países baixos, pela então Alemanha nazista, em 10 de maio de 1940 durante o processo da segunda guerra mundial,dando assim o inicio a guerra de verdade.

No dia 3 de junho de 1940, os alemães bombardearam paris, matando 254 mil pessoas sendo a maioria delas civis.   Com a tática de destruir a moral do povo francês, eles atacaram a capital sem preocupações com os civis, o plano funcionou tanto que ouve a rendição francesa.
  
 A Alemanha vinha de combates pequenos, mas a França seria seu primeiro combate a altura, com o número de soldados equivalente aos da Alemanha a França esperava um ataque pela a fronteira da Bélgica já que os alemães aviam atacado por esse ponto em (1914), só que a Alemanha atacou por a região dos ardenos, ocupados por florestas e essa posição pegou o lado oposto do mais forte do exército Francês, as tropas francesas ficaram surpresas e a capital ficou desprotegida e as tropas foram vencidas em 3 semanas e isso surpreendeu até os alemães. 

No dia 14 de junho as tropas nazistas ocupava Paris, a França se rendeu ficando assim dividida em duas, uma ocupado pelos os nazistas e a outra pelo o Marechal Petaim.

Adolf Hitler considerava a capital da França muito especial. O cenário era de duas Paris, uma invadida pelos alemães que tinham como objetivo de fazer a capital da alegria, e outra ocupada de forma brutalmente.  Muitas das pessoas passavam fome, era nítida como a miséria havia se tornado presente por toda parte. Naquela época os judeus foram barrados em ter uma vida social, mas logo após o verão foi decidido que os judeus que tivessem nascidos na franca seriam deportados para o campo transitório. Muitos dos judeus que foram expulsos, mais de 400 mil já tinham sido confinados. 


Durante o período da segunda guerra mundial o Vaticano permaneceu neutro durante as atrocidades cometidas pelos nazistas, o então Papa Pio XII se manteve calado, visto que as vitimas eram de uma religião contraria o Papa até chegou a rezar pela vitória do exercito nazista.

Muitas pessoas eram colocadas dentro de vagão, sendo arrastadas para dentro de conduções escuras onde já haviam vitimas atiradas pelos soldados. Testemunhas oculares contam sobre os gritos desesperados das pessoas que eram pegas de forma brutal. Os nazistas havia um plano de extermínio para aniquilar totalmente as pessoas judaicas. Quando foi adotado o genocídio, liderado por Hitler. Foram mortos mais de 2 milhões de judeus por meio de asfixiar e fuzilamento. 

A visão de Hitler era de unir os territórios da Alemanha com o leste da Europa, ele tinha como ideia uma expansão territorial que permiti-se o desenvolvimento germânico. Dessa forma como tudo naquela época se resolvia a base forçada, ocorreu varias batalhas para os seus desejos serem possivelmente conquistados. Motivo que cominou a segunda guerra mundial que fora a invasão na Polônia datada em 11 de setembro de 1939. 

A França por sua vez junto com a Inglaterra decretou guerra aos alemães. Em 1940 foi assinado um documento pelos franceses cessando fogo contra os alemães. Paris foi tomada pelos alemães no dia 14 de junho, a batalha dos alphes que já estava com vitória alemã, devido os franceses terem se rendido. Quando paris fora invadida, muitas pessoas correram para as ruas e construíram obstáculos para a circulação dos alemães. O governo de Benito Mussoline junto com a Alemanha se uniu com objetivos de expansão territorial, quando aconteceu em 22 de junho de 1940, assinado por Marechal Pétain que anunciou a necessidade da França se render aos ataques alemães. A França devido à rendição foi divida em franca de Vichy, a zona de ocupação alemã e a alsacia-lorena que portavam de grandes indústrias. 

A verdadeira guerra teve inicio após a derrota da Polônia, porque Hitler estava planejando a invasão da Europa ocidental. A França e a Inglaterra iniciaram preparativos para impedir e/ou conter um possível ataque alemão aos países europeus e tomar seu território. Esse período ficou conhecido por "guerra de mentira",pois no período de setembro de 1939 a abril de 1940, quase não havia hostilidades entre eles, com breve exceções por incursões aéreas de ambos os lados em nível de reconhecimento.

Após um tempo de guerra a França se rendeu após armistícios, a rendição ficou oficializada em 22 de junho de 1940;com a rendição o pais se dividiu em três partes:

  • ·         França de vichy- que era composta pelo centro-sul francês, que era comandado pelo marechal pétain,que elaborou um regime colaboracionista com os alemães, que tinha orientação semi-fascista.
  • ·         Zona de Ocupação Alemã- no qual correspondia ao norte e á costa atlântica da França,que por sua vez era uma área de posicionamento perfeito para planos de batalha e além de usarem a indústria local para reforços e como logística para futuras operações. 
  • ·         Alsácia-lorena: esse território tornou-se então finalmente uma parte da Alemanha,fazendo parte do seu estado nazista.

Teve uma fundação também da França livre, onde no qual estava sob o controle de charle de Gaulle, apoiado inicialmente pela guiana francesa e da África equatorial francesa, após as ilhas da Oceania e Chade se unirão aos demais países. Esse novo governo estava sediado em Londres e proporcionou a organização da resistência francesa, mesmo que nominalmente, pelas diversas estruturas políticas que constituíam essa resistência,por isso nem todas eram submetidas ao líder da França livre. Percebemos quando nas palavras de Max Altman abaixo ele conta como estava o clima em paris em toda força de resistência:


Em Paris, as forças do general Dietrich von Choltitz combatiam a Resistência e completavam suas defesas em torno da cidade. Hitler ordenou que Paris fosse defendida até o ultimo homem e exigiu que a cidade não caísse nas mãos dos Aliados a não ser uma “cidade completamente devastada e em ruínas”. Choltitz, consciente de seus deveres, começou a instalar explosivos sob as pontes de Paris e em muitos de seus marcos, mas desobedeceu a ordem de começar a destruição. Não queria entrar para a História como o homem que destruiu a cidade mais celebrada da Europa.[2]

Os aliados eram contra o tratado anti-comunista, assinados pelo Alemães que fizeram acordos com o Japão e a Itália. Das diversas atrocidades cometidas pela ideologia nazistas deficientes, homossexuais e escravos foram sendo perseguidos e mortos. Campos foram sendo descobertos e sendo liberados pelos soldados americanos. Nos EUA foram mandados soldados por navios, muito se diz que eram recrutados negros por serem de baixa renda e que poderiam morrer pelo patriotismo ao seu país, percebemos como era forte na época a questão racial.
   Já nos dias que antecederam à libertação da cidade ocorreram greves da polícia, dos correios e do metrô parisiense. O rádio suspendeu suas transmissões e, no dia 19 de agosto de 1944, o Comitê da Libertação de Paris conclamou a população a rebelar-se.[1]






Conclusão: 

Quando falamos em Paris, logo imaginamos todo luxo que a capital proporciona eventos de moda e cultura que atraem turistas de todo globo, mas poucos se lembram do que os habitantes de paris enfrentaram no passado. Durante os ataques foi muito presente a resistência francesa que se opuseram aos domínios nazistas, eram distribuídos em paris papeis intencionando as pessoas contra atacar os soldados nazistas, ocorreram muitos protestos e lutas políticas que combatiam contra todas as atrocidades já cometidas pelos extermínios alemães, entre os motivos por questão racial, sexual e religiosa. Em 25 de agosto de 1944 após 52 meses em que estava ocupada pelos os nazistas, Paris estava finalmente livre outra vez. Todo trajetória da segunda guerra mundial, são reconhecidas pela briga de interesses políticos e militares. Até hoje no Hotel Merurici pode-se encontrar a marca dos tiros na parede. Muitas pessoas perderam a vida nos campos de batalha, fica marcado em todo mundo com tristeza a força que todos tiveram para enfrentar durante as guerras. O capitalismo desenfreado foi um forte alienado quando os interesses era ter o seu território garantido. Ainda com fome e sofrendo com a falta de gás além do racionamento de energia elétrica, a cidade teve que se transforma em uma enorme aldeia solução achada para a cidade se manter. O dia 8 de maio ficou gravado no calendário para homenagear os milhões de pessoas que morreram na segunda guerra mundial. Até hoje se encontra regiões isoladas, como no noroeste da França, restos de explosivos e mortos enterrados no solo que são altamente perigosos assombra as pessoas e deixam marcas na memória de uma paris que no passado muito sofreu. Sabemos que as atrocidades da segunda guerra mundial não terminaram por aqui, serie de outros acontecimentos se estenderam e muitas pessoas ainda morreram. Uma lei internacional nomeado como Convenções de Genebra, no qual o Brasil participa é sujeita a segurar regulamentar os jogos sujos cometidos em campo de batalha. Agora podemos perceber que a “Cidade Luz” já foi escuridão na historia, e ainda é presente a marca de um passado que hoje assombra as pessoas.



Referencias:

[1] [2] [ALTMAN, M. Opera mundi, 2010. Disponivel em: <http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/5925/conteudo+opera.shtml>. Acesso em: 23 junho 2016.

ARAÚJO, A. O Jornal de Todos os Brasis. Entretenimento, 2015. Disponivel em: <http://jornalggn.com.br/noticia/o-hotel-meurice-e-a-libertacao-de-paris-na-segunda-guerra>. Acesso em: 26 junho 2016.

LAPIERRE, D. A Liberação de Paris. Uol, setembro 2013. Disponivel em: <http://www2.uol.com.br/historiaviva/reportagens/a_liberacao_de_paris.html>. Acesso em: 01 julho 2016.

PAVESI, T. Museu do Louvre durante segunda guerra mundial. Conexão Paris, França, Dezembro 2012. Disponivel em: <http://www.conexaoparis.com.br/2012/12/21/museu-do-louvre-durante-segunda-guerra-mundial/>. Acesso em: 02 Julho 2016.

SCHILLING, V. Noticias Terra. Educação-História, 2013. Disponivel em: <https://noticias.terra.com.br/educacao/historia/segunda-guerra-mundial-a-queda-da-franca,4c7842ba7d2da310VgnCLD200000bbcceb0aRCRD.html>. Acesso em: 28 Junho 2016.

SEU History. Hoje na Historia. Disponivel em: <http://seuhistory.com/hoje-na-historia/alemaes-bombardeiam-paris-na-segunda-guerra>. Acesso em: 30 Junho 2016.

STEGEMANN, M. Made for minds. Calendário Historico. Disponivel em: <http://www.dw.com/pt/1944-paris-%C3%A9-libertada-da-ocupa%C3%A7%C3%A3o-alem%C3%A3/a-320231>. Acesso em: 27 junho 2016.


Um comentário:

  1. -Faltou justificar o texto.
    -Senti falta de uma contextualização, mostrando o papel da França no início da II Guerra Mundial.

    ResponderExcluir