sábado, 12 de março de 2016

Relâmpagos



      
     Emanuel Douglas Lopes da Silva
Jacó da Conceição Bitencourt
Ismael de Souza Rocha
Pedro Augusto Pereira Machado


Relâmpagos
          Todos nós já vimos relâmpagos quando se está chovendo, mas nunca paramos para estudar o que de fato fez para acontecer este fenômeno que podemos ver a sua luminosidade no céu. Recorrendo a física que tem como grande importância e objetivo de explicar esses acontecimentos, encontramos um cientista renomado Benjamin Franklin que trouxe com as suas experiências conceitos sobre o relâmpago que ajudou a avançar os estudos sobre o assunto. Quando observamos em um local seguro percebemos que após um relâmpago ele é acompanhado em seguida por um trovão, o que podemos dizer que as descargas elétricas provoca a iluminação que mais conhecemos como relâmpago, percebemos primeiro o relâmpago por que a velocidade da luz é mais rápida do que a velocidade da propagação do som. 


                                         Foto: Stephen Cullum 

        O raio que acontece com a junção de duas cargas, as cargas positivas que se encontram no interior das nuvens e nas cargas negativas que estão na terra e seguem em direção as nuvens provocando a descarga elétrica que resulta na grande iluminação e ondas sonoras que se propagam pelo céu.

       Dos vários fenômenos da natureza, as tempestades com os raios, relâmpagos e trovões, são os que despertam maior interesse das pessoas, seja pelo fato de oferecer um belo espetáculo ou por simplesmente causar grandes destruições.  

        Os raios representam descargas elétricas entre nuvens e o solo, essa forte descarga de energia produz calor,luz(relâmpago) e o som(trovão). Quando no interior das nuvens de tempestades, também conhecidas como cúmulo-nimbus, há excesso de cargas elétricas, tem-se a necessidade dessas cargas serem liberadas, essa liberação se dá através das descargas elétricas. As cargas elétricas no interior das nuvens produzem campo elétrico, quando esse campo ultrapassa o valor total de 3 milhões de volts por metro, que é o valor da intensidade do campo elétrico Maximo do ar, dizemos que houve a ruptura da rigidez dieletrica do ar logo o isolante tornou-se um condutor e como consequência ocorre a descarga elétrica.                                                                                                                               


        Um relâmpago, dura em média um terço do segundo, embora esse valor possa variar, dentre esse intervalo de tempo, a corrente elétrica sofre grande variações, podendo ser atingidos picos de 30 mil ampéres durante períodos menores que um décimo de milésimo de segundo.


        O relâmpago é a luz emitida pela descarga elétrica (raio) entre duas nuvens, ou entre uma nuvem e o solo ou outro receptor de descarga como um ( para-raios ) por exemplo.  Os relâmpagos são produzidos durante tempestades com nuvens eletricamente carregadas, quando o campo elétrico se torna tão forte e intenso ao ponto de forçar uma descarga elétrica entre nuvem e o solo.   
                                                -Benjamin Franklin
          Não existe um consenso entre os cientistas sobre como as nuvens ficam carregadas ocasionado os raios. Porém, uma explicação bastante aceita é a de que as partículas de vapor de água ao subir pela atmosfera vão se chocando com pequenos cristais de gelo, ou gotas que estão caindo e que compõem as nuvens esse cheque faria com que alguns elétrons fossem arrancados dessas partículas deixando-as com carga positiva. Os elétrons arrancados tenderiam a se acumular na parte inferior da nuvem, enquanto as partículas positivamente carregadas se acumulam na parte superior da nuvem.  Essa separação de cargas cria um campo elétrico na nuvem com uma intensidade de milhares se raios por centímetro, a intensidade do campo elétrica da nuvem é tão grande que a carga positiva da nuvem repele a carga positiva do solo próximo deixando-o positivamente carregado.


           Assim como a física traz as suas explicações a muitos mitos que acompanham o assunto, como existe na mitologia grega um Deus Chamado Zeus que demonstra a sua ira por meio de seus raios, assim como também nas religiões onde os elementos raios e trovões são características de Santa Barbara, Iansã e xangó. Mitos muitos antigos como dizem que o espelho atrai raios, mas que de fato não a nenhuma comprovação desde acontecimento mais sim o que precisa se tomar cuidado é está em um local seguro para passar a tempestade. Usar celulares durante as descargas elétricas dos raios é uma forte possibilidade de você ser atingido pela atração das ondas eletromagnéticas emitidas pelo celular. Com as experiências de Benjamin Franklin ele conseguiu inventou  o para-raios por volta de 1752 onde só em 2000 se obteve fim as discussões sobre o projeto proposta pelo cientista , sua finalidade é atrair e desviar os raios para o para-raios que é direcionada ao solo onde de  descarrega e protege o local.

Referencias:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Rel%C3%A2mpago
www.infoescola.com/meteorologia/relampago/
www.inpe.br/webelat/homepage/menu/relamp/relampagos/tipos.php
fisica.icen.ufpa.br/aplicada/classif.htm  
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário